Efemérides Novembro

Nascimento Óbito
D. Maria II
Rei de Portugal
1819 04 04 1853 11 15 D. Maria II foi rainha pela vontade do pai D. Pedro reinar num Brasil independente. Envolvida numa guerra civíl longa pelo seu direito a reinar acabou por sair vitoriosa. Teve 11 filhos o que lhe valeu o cognome de A Educadora.
José Campos de Figueiredo
Dramaturgo, Ensaísta, Poeta, Vencedor do Prémio Camões
1899 05 06 1965 11 28 José Campos de Figueiredo foi um poeta, jornalista, dramaturgo e ensaísta Conimbricense que também assinou sob o pseudónimo de Paulo Prates. A sua notoriedade na primeira metade do século XX levaram mesmo a que conquistasse um prémio Antero de Quental.
Sophia de Mello Breyner Andresen
Escritor, Poeta, Vencedor do Prémio Camões
1919 11 06 2004 07 02 Sophia de Mello Breyner Andersen foi uma das autoras mais importantes do Século XX Português. Com obra desde o Ensaio aos Livros Infantis acaba por ser mais recordada pela sua faceta enquanto Poeta. Foi a primeira mulher vencedora do Prémio Camões.
Ernesto Hintze Ribeiro
Advogado, Político, Presidente do Conselho de Ministros
1849 11 07 1907 08 01 Ernesto Hintze Ribeiro, sucedendo ao poderoso Fontes Pereira de Melo na frente do Partido Regenerador, foi um dos políticos mais relevantes do último período da Monarquia Constitutional Portuguesa chegando a chefiar o Governo, como Presidente do Conselho de Ministros, por três ocasiões.
Mário Cesariny
Escritor, Pintor, Poeta
1923 08 09 2006 11 26 Mário Cesariny foi um dos maiores nomes do surrealismo português e uma das artísticas mais controversas do século XX português. Pintor talentoso e poeta apaixonado foi também uma língua sempre afiada durante toda a vida e as suas opções sexuais um comportamento desviante e perseguido durante o Estado Novo.
Mário Viegas
Actor, Encenador, Recitador
1948 11 10 1996 04 01 Mário Viegas foi um actor e encenador brilhante mas ficará para sempre na memória popular pela forma como, enquanto recitador, recitava poemas, em especial os de Fernando Pessoa
D. Sancho I
Rei de Portugal
1154 11 11 1211 3 26 Se a D. Afonso Henriques devemos a criação de Portugal, a D. Sancho I, seu filho, devemos em muito a sua estruturação. Cognominado de O Povoador criou cidades, organizou regiões, e soube desenvolver o país de forma a prepará-lo para as próximas etapas.
D. Manuel II
Rei de Portugal
1889 11 15 1932 07 02 D. Manuel II foi o último Rei de Portugal, encerrando assim a Disnatia de Bragança. Filho segundo de D. Carlos I acaba por subir ao trono em virtude do assassinato de seu pai e irmão mais velho, Luís Filipe a 1 de Fevereiro de 1908 no Terreiro do Paço em Lisboa.
D. Pedro V
Rei de Portugal
1837 10 16 1861 11 11 D. Pedro V apenas reinou efectivamente seis anos onde tentou modernizar a abrir Portugal. Morreu jovem, tal como a sua esposa D. Estefânia, e sem descendência. Mesmo assim nesse curto reinado fez obra para ser considerado um dos bons Reis de Portugal.
D. João IV
Rei de Portugal
1604 04 19 1656 11 06 D. João IV foi instigado pela nobreza Portuguesa a rebelar-se contra D. Filipe III de Portugal, IV de Espanha, e trazer a completa independencia a Portugal. Conseguiu-o de facto tornando-se o primeiro Rei da Dinastia de Bragança, mas morreu sem a Guerra da Restauração estar terminada.
D. Nuno Álvares Pereira
1360 06 24 1431 11 01 D. Nuno Álvares Pereira, ou São Nuno de Santa Maria, Condestável do Reino, foi um dos mais brilhantes generais da história militar e figura decisiva na Guerra de 1383-85. Acabou a vida como Frade e é considerado Santo pela Igreja Católica.
Eça de Queirós
Escritor
1845 11 25 1900 08 16 José Maria Eça de Queiroz, ou Queirós com a nova ortografia que abominava, foi um génio na utilização da lingua portuguesa, um escritor moderno sagaz e uma das linguas mais fiadas da história de Portugal. Como tal foi muitas vezes “exilado” como diplomata fora do país para o afastar das questões internas.
D. Miguel I
Rei de Portugal
1802 10 26 1866 11 14 D. Miguel I foi rei de Portugal durante seis anos, sendo os últimos dois numa Guerra Cívil contra o seu irmão mais velho, e futuro D. Pedro IV. Foi reconhecido Rei pelas Cortes por seu irmão ter-se rebelado contra Portugal declarando a Indencia do Brasil. Após perder a Guerra Cívil foi retirado da linha de sucesão e exilado.
Cardeal Manuel Gonçalves Cerejeira
Cardeal Patriarca de Lisboa, Religioso
1888 11 29 1977 08 02 Manuel Gonçalves Cerejeira, ou mais comummente Cardeal Cerejeira, foi uma das figuras mais importantes de Portugal durante todo o período do Estado Novo. Mesmo sem cargo público em Portugal a sua posição enquanto Cardeal Patriarca de Lisboa, e amigo pessoal de António Oliveira Salazar, fez com que fosse das figuras mais relevantes de quase meio século em Portugal.